sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Sherlock Holmes - eu quero uma continuação já!



Sherlock Holmes
Direção: Guy Ritchie


Eis uma ocasião em que eu gostaria de dizer “sou exímia conhecedora do personagem criado por Arthur Conan Doyle”. Infelizmente não é este o caso. De Sherlock Holmes eu só assisti O Enigma da Pirâmide e li O Xangô de Baker Street....nenhum dos dois escrito/filmado por Doyle.

Mas é claro que eu conheço o que todo mundo conhece: o detetive inglês de capa, chapéu (ou seja lá como se chama o que ele usa na cabeça) e cachimbo, sempre acompanhado de seu amigo Watson: “Elementar, meu caro Watson”. E é claro, que possui os melhores poderes dedutivos e de observação já vistos na história (sem mencionar o vício em cocaína).

E foi assim, dotada desse vasto conhecimento acerca do personagem que fui ao cinema na primeira sessão do dia 08 de janeiro assistir SHERLOCK HOLMES. E fico imensamente feliz em não ter me decepcionado nem um pouquinho.

É bem verdade que boa parte da imagem que temos de Holmes em nossa memória não advém dos livros, mas sim de outras produções cinematográficas e televisivas. Esse negócio de ‘elementar, meu caro Watson’? Esqueça. Pura invenção que acabou mais conhecida que o próprio personagem. E ela é sabiamente ignorada no filme, mesmo porque não combina com a dobradinha Holmes e Watson de Guy Ritchie.

Outra coisa na qual o filme se saiu muitíssimo bem foi na escalação dos atores. Robert Downey Jr. foi capaz de dar uma humanidade ao personagem que eu não julgava capaz de existir. E faz sentido que um detetive que conhece tão bem o submundo londrino não seja um fidalgo. Arrogante, egoísta e que se acha superior a tudo e a todos? Com certeza, mas com uma capacidade para se meter em enrascadas que não se iguala a nenhum outro. Tudo bem que ele sempre sai delas com maestria, mas não sem sujar as mãos (e o rosto, o corpo, a roupa e por aí vai).

E é justamente essa mistura de arrogância com carisma que nos faz ficar completamente apaixonados pelo Holmes de Robert Downey Jr. Eu mesma ficava encantada com as tentativas (nem sempre frustradas) do detetive de destruir o relacionamento de Watson e Mary.

Watson foi outro achado. Eu confesso que não sou exatamente fã de Jude Law, mas não consigo imaginar outro ator no papel do médico seguidor de Holmes. Esse sim, impecável em suas roupas e maneiras polidas, Watson ganhou meu coração. E pela primeira vez o médico deixou de ser apenas a força bruta do detetive e virou seu companheiro. Sim, porque não imagino Holmes conseguindo sair das enrascadas em que se metia sem a ajuda sempre precisa do médico.

Foi um toque especial essa necessidade de Watson de tomar as rédeas d a própria vida e abandonar a sandice que era viver ao lado de Holmes. Eu consigo entendê-lo muito bem. Mas era claro como o dia que o médico amava aquela loucura toda e se sentia doentiamente atraído pelos casos do detetive. E falemos a verdade, um completava o outro tão bem, que Holmes sem Watson (ou vice-versa) não teria graça alguma.

O filme em si me lembrou bastante o ritmo de O Enigma da Pirâmide, mas sem a cara de sessão da tarde. Não faltaram perseguições, seitas secretas, muitas explosões e algumas (algumas!?) lutas aqui e acolá. E é claro, um toque de romance. A relação de atração (física e intelectual) entre Holmes e Adler foi definitivamente explorada. E a atriz esteve brilhante, não menos do que isso. Infelizmente não posso dizer o mesmo de Mary e sua intérprete. Impossível acharem uma noiva mais sem graça para o pobre Watson.

Mas o melhor mesmo é ficar tentando adivinhar quais as pistas Holmes está enxergando, como está deduzindo as coisas, e, confesso, quase morri de curiosidade para saber como Blackwood escapou do enforcamento (embora fosse óbvio e a resposta era exatamente a que eu imaginava).

Também fica bastante óbvio que o acompanhante de Adler na carruagem é Moriarty. Embora só nos dêem um pequeno gostinho do Professor, muita coisa pode surgir daqui pra frente. Agora nos resta saber se o filme será um sucesso de bilheteria, porque eu quero uma continuação.

6 comentários:

Unidade de Carbono no Palido ponto Azul disse...

Vc terá sua continuação. Também sou fã do Sherlock, no meu caso, eu conheço profundamente de todos os livros oficiais e alguns não oficias e filmes dos anos 30,40,50,60,70,80,90...
Não vou dizer que foi uma obra prima, mas o Robert Downey Jr e o Jude Law levaram bem os seus personagens. Imaginei que seria uma bosta este negócio de reboot, já que não gostei muito do novo Star Trek.

Acho que o Sherlock II, será muito melhor, tipo The Dark Knight, com o verdadeiro vilão de Sherlock, Prof.Moriaty. Alias, dizem por ai, que será o Brad Pitt. Espero que peguem um ingles.

Shoujofan disse...

Você perguntou qual era o endereço do meu post sobre Holmes, ele está aqui. Agradeço a sua visita. :)

Mica disse...

Oh...eu gostei tanto do reboot de Star Trek...
Mas você tem razão, tem que ser um ator inglês. Brad Pitt? Por favor! Eles não cometeriam essa atrocidade (se bem que tem gente que acha uma atrocidade terem escalado o Robert Downey Jr. também, mas...)

@Shoujofan já passei por lá e li o seu texto ^_^. Não comentei, é verdade, mas confesso aqui que fiquei com tanta vontade de ler os livros que já baixei tudo o que pude encontrar.
E engraçado que eu tenha antipatizado com a Mary mesmo sem conhecê-la dos contos, livros, sei lá. Fico feliz em saber que não estou sozinha na minha opinião pela noiva do Watson. (eu sinceramente esperava que ela fosse mais meiga e vc me fez ver que eu estava esperando certo ^_^).

Shoujofan disse...

Obrigada pela visita. Vi que você é fã de séries da BBC também. Isso é ótimo. ^_^

Ah, eu gostei do reboot de Jornada nas Estrelas. Não esperava boa coisa e fui surpreendida. :) Comentei lá no blog, tb.

Lord Anderson disse...

Oi Mica, só agora descobri seu blog.

Vi que vc falar sobre series e já vou adiciona-lo a minha lista de favoritos.

Minha experiencia com o novo filmes de Holmes foi o mesmo como ono Star Trek. Fiquei com o pé atraz mas na hora me diverti muito.

Unidade de Carbono no Palido ponto Azul disse...

Tem muita gente que reclamou do filme que artes marciais, luta de boxes e o visual diferenciado do Sherlock Holmes são erros gravíssimos do novo filme. Uma grande afronta. Nem mesmo "Elementar meu caro Watson", aparece no filme. Mas, são pessoas que não possuem qualquer conhecimento dos livros. Leia este grande texto exclarecedor aqui embaixo :


http://scienceblogs.com.br/cretinas/2010/01/sharlock_holmes_e_as_artes_mar.php

Postar um comentário