segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Livros de 2012


Não faz muito tempo que adotei o hábito de anotar os livros que leio durante o ano. Quando adolescente eu até marcava, mas sem compromisso histórico. Foi só a partir de 2009 que eu comecei a caprichar e anotar de verdade. 

Curiosamente o número de livros lidos por ano tem aumentado gradativamente. Quero dizer, tirando a minha adolescência, quando eu lia muito mesmo. Mas a vida adulta me fez mudar um pouco as prioridades (quem eu estou querendo enganar!? Foi uma fase que eu lia muita fanfiction e poucos livros...voltei a ler livros em maior quantidade lá por 2007). Em 2009 eu li 20 livros e a maioria de uma mesma temática. Em 2010 o número aumentou para 29 e tentei variar um pouco os temas. Já 2011 cravou nos 30 livros e, embora tenha lido vários livros de séries, variei um pouquinho mais que no ano anterior (ou não...já nem sei mais medir essas coisas).

Este ano de 2012 eu tinha planos de ler um livro por semana. Não deu certo, mas pelo menos variei bastante no estilo de leitura, graças ao primeiro Desafio Literário que eu participei e que me fez tirar um pouquinho a cabeça do buraco.

Então vamos lá, os 37 livros de 2012:

domingo, 30 de dezembro de 2012

O que eu andei lendo - 29.12.2012

Esse ano meu recesso de final de ano foi curtinho: apenas a semana do natal. Mesmo assim dei um jeito de colocar o nariz nos livros e adiantar algumas leituras. Uma pena que não terei recesso em janeiro, época que tradicionalmente leio bem mais que o ano inteiro, mas tudo bem, antes uma semana no natal do que semana nenhuma, não é?

Não li mais porque também tirei um tempinho para ir ao cinema, ver algumas séries, matar a saudade da minha gatinha Sophie e outras coisinhas mais.

O que eu li na última semana está aí. O vídeo ficou meio ...bem...interrompido...porque perguntei para minha tia quanto tempo demoraria para o almoço ficar pronto. Ela respondeu "10 minutos" e eu aproveitei para gravar o vídeo. Mas não é que ela veio antes de acabar me chamar para almoçar? Parar e continuar depois não era uma opção viável (todo mundo sabe que eu enrolo até não poder mais para editar as coisas....iria acabar postando só em 2013!!), então deixei assim  mesmo. O que importa é que deu tempo para eu falar dos livros que eu li e a máquina não parou de gravar no meio de alguma frase qualquer (como sempre faz).

sábado, 29 de dezembro de 2012

Desafio Literário: Poesias [Fernando Pessoa]

Livro: Poesias
Autor: Fernando Pessoa
Seleção de Sueli Barros Cassal
Editora: L&PM Pocket
Nº Páginas: 134

É com Poesias que termina o Desafio Literário de 2012. De todos os temas, com certeza o de dezembro foi o mais complicado para mim. Não sou uma leitora de poesias, nunca fui, sinto-me confusa quando tento compreender a lógica dos poetas. É uma dificuldade que tenho desde pequena...olho para a simétrica da coisa e não consigo enxergar a cadência correta. Leio tudo sem a entonação necessária o que torna as palavras sem sentido.

Mas em nome do DL eu fiz um esforço e me dediquei ao máximo. Tentei encontrar o sentido oculto nas palavras e o ritmo correto de leitura. Não posso dizer que tenha sido completamente bem sucedida, mas também não fui um total fracasso.

Escolhi Poesias, do Fernando Pessoa, por um motivo bem simples: estava barato. Além do mais, tinha visto recentemente um vídeo da Tatiana Feltrin falando sobre a biografia do Fernando Pessoa (até comentei sobre este vídeo quando resenhei As Esganadas) e pensei 'Por que não? Se for para ler poesia, que seja com um poeta que é reconhecidamente bom, quem sabe assim a coisa dá certo'.

Poesias é a reunião de algumas das mais célebres criações de Fernando Pessoa (ou pelo menos é o que diz a capa do livro). Foram selecionadas poesias do própria Pessoa, assim como de alguns de seus heterônimos (como Álvaro de Campos, Alberto Caeiro e Ricardo Reis). É estranho como até eu, que entendo lhufas de poesias, consegui enxergar a diferença no estilo de cada um deles e, sem dúvida alguma, Álvaro de Campos foi aquele com o qual eu menos me identifiquei. Sua poesia é muito longa e depressiva. Imagino que deva ter quem ame, mas eu não me  incluo entre eles.

domingo, 23 de dezembro de 2012

Desafio Literário 2012: Deuses Americanos [American Gods]

Livro: Deuses Americanos
Autor: Neil Gaiman
Tradução: Ana Ban
Editora: Conrad
Nº páginas: 447

Terminei de ler Deuses Americanos há dois meses. Era minha leitura para o desafio literário de setembro e, obviamente, eu não consegui terminar a tempo. Como acabei só em outubro (ou início de novembro, não lembro mais), o prazo para a resenha já tinha passado e, no espírito do DL eu precisava fazê-la e enviá-la pelo menos antes do encerramento do ano. Por isso posterguei (algo que costumo fazer mais vezes do que é saudável), o que foi um erro sem tamanho. Agora não lembro lhufas do que eu queria dizer. Na verdade, acho que quem viu o meu vídeo "O que eu andei lendo - 07.11.2012" terá uma ideia mais apropriada do que eu realmente senti lendo o livro.

Minha relação com Neil Gaiman sempre foi meio complicada. Eu o acho um gênio. A forma como ele pesquisa e se preocupa em dar o melhor para o leitor é algo que me deixa bastante emocionada. Ele tem ideias brilhantes, diferentes e o leitor pode ter certeza que não ficará no lugar-comum enquanto lê algo do autor. Seus roteiros para o cinema e para a tv também tem esse toque primoroso, cheio de cuidados e carinho pelo público, sem falar naquele ar meio lúdico das histórias que ele cria.

Deuses Americanos é assim: um trabalho muito bem feito, com inúmeros personagens e cada qual com suas característica própria sem que elas se misturem ao longo das mais de 400 páginas de livro. O problema principal é que o leitor precisa ter uma atenção gigantesca para não se perder no meio de tanta gente que ele apresenta e de tantas histórias paralelas, ao ponto de você mal saber qual é a que estava seguindo inicialmente. Isso sem mencionar os detalhes... Neil Gaiman se atém a eles, ou melhor, os detalhes tem geralmente uma importância vital e se o leitor deixa passar ficará a ver navios mais para a frente. Agora me digam, como lembrar dos famigerados detalhes? Passados dois meses não consigo nem lembrar o nome dos personagens, quem dirá das minúcias!!!!

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

O que eu andei lendo - 21.12.2012

Esse negócio de fazer vídeos não é fácil. Essa foi a minha terceira tentativa (embora, admito, foi a que eu mais gostei) e eu já estava aqui morrendo de medo que não conseguiria mais falar sobre a mesma coisa mais alguma vez.

É até engraçado quando eu penso nisso. O primeiro vídeo ficou confuso e errei o nome de metade dos países onde a pobre Ayaan morou. O segundo fico tão longo e sério que até eu fiquei com sono quando fui ouvir depois (sem falar que ficou gigante...como fazer para os vídeos da webcam ficarem menores?). Esse terceiro acabou dando certo e virou a versão definitiva.

Então com vocês...o que eu andei lendo.

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

De segunda à segunda

A vida de fã de série de tv é assim, uma semana vê mais, outras menos. Essa última semana vi quase nada e, pior, nem lembro o motivo.

Mas o que vi, compartilho com vocês.


Elementary: 1x09
The Vampire Diaries: 4x09
Fringe: 5x09
The Hour: 2x05
Dexter: 7x12
Homeland: 2x12









Eu até queria fazer grandes comentários sobre os episódios, mas a verdade é que estou sem a menor ideia do que dizer.

Dexter e Homeland foram finais de temporada. Dexter fez uma temporada que me agradou bastante até mais ou menos a metade e depois decaiu muito. O interessante é que só agora, de cabeça fria, percebo falhas em situações que eu tinha aceitado numa boa de início.

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

De segunda à segunda

O post está atrasado. Bateu a maior preguiça na segunda-feira à noite e não escrevi nem as mínimas linhas que costumo escrever. Simples assim, nem uma boa desculpa eu tenho.

Só uma novidade: Eu terminei de ler O Hobbit!!! Comprei o livro no final de 2009, mas só peguei para ler agora no início do mês, quando soube que o filme estrearia dia 14/12. E não é que eu gostei do Bilbo? Ele é um hobbit bem mais interessante que o Frodo.

Mas vamos lá para as séries que os comentários (breves, bem breves) eu farei ao final.


Homeland: 2x08, 2x09 e 2x10
The Hour: 2x02, 2x03 e 2x04
The Vampire Diaries: 4x08
Fringe: 5x08
Haven: 1x09, 1x10, 1x11, 1x12 e 1x13
Battlestar Galactica: Blood & Chrome: 09 e 10
Dexter: 7x11
Glee: 4x09









segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

De segunda à segunda

Sem maiores comentários hoje, porque, sinceramente, estou com sono.
E começaram os hiatos de final de ano....será que consigo colocar algo em dia?
Once Upon a Time entrou no costumeiro hiato me matando do coração e de quebra quero matar o Henry junto. Revenge colocou todo mundo em uma situação peculiar...preocupadíssima com os novos episódios ano que vem.
Comecei a ver Haven. Eu já tinha visto os episódios 3x07 e 3x08 (por conta da participação da Claudia Black) e fiquei empolgada e por conta disso resolvi ver desde o início. Mas é tão estranho ver acontecimentos lá de trás já sabendo o que acontecerá...não dá para torcer em determinadas situações.
Mas é isso aí, como eu disse, sem comentários elaborados. Deixa para a próxima.

PS: Restam apenas dois minisodes de Battlestar Galactica Blood & Chrome. Como eles fecharão essa história é algo que eu não faço a menor ideia. Por que não nos deram uma temporada inteira!?? Sentirei muita falta.

PS2: X Factor UK conseguiu eliminar TODOS os participantes por quem eu cheguei a torcer. Foi a temporada mais sem graça do programa até agora.

PS3: Mais alguém acha que a Hannah (Dexter) já expirou seu prazo de validade?


The Vampire Diaries: 4x07
Battlestar Galactica Blood & Chrome: 07 e 08
Glee: 4x07 e 4x08
Elementary: 1x08
Haven: 1x05, 1x06, 1x07, 1x08
Once Upon a Time: 2x09
Dexter: 7x10
Revenge: 2x08 e 2x09

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Desafio Literário 2012: Infiel

Sinopse: Em 'Infiel', sua biografia precoce, Ayaan Hirsi Ali narra a impressionante trajetória de sua vida, desde a infância tradicional muçulmana na Somália até o despertar intelectual na Holanda e a existência cercada de guarda-costas no Ocidente.

Livro: Infiel
Autora: Ayaan Hirsi Ali
Tradução: Luiz Antônio de Araújo
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 504

Até pouco menos de um mês eu nunca havia ouvido falar de Infiel. Talvez porque não costume ler biografias (hábito que preciso mudar urgentemente), mas a verdade é que eu vinha perdendo um livro de qualidade ímpar. 

Decidi pela leitura de Infiel bem por acaso. O tema  de novembro para o Desafio Literário 2012 era autor africano e me pegou em um momento meio complicado (mais conhecido como falta de planejamento), então decidi baixar o livro que fosse ler. Vasculhei em uma lista de indicações e fui para o google em busca de ajuda. Infiel foi o primeiro que consegui baixar em português e a qualidade do texto era muito boa, com tradução original e tudo. 

E foi isso. Não escolhi Infiel, o livro é que me escolheu. E que leitura maravilhosa foi esta! A autobiografia de Ayaan é fortíssima, mas muito envolvente. A escrita da mulher é eficaz, pontual, sem exageros e muito menos excessos. E é de um senso crítico sem tamanho. Impossível ler e não se forçar a pensar. Alias, devo me corrigir, o leitor não é forçado a pensar, a reflexão vem naturalmente, porque não tem como tomar contato com as coisas que Ayaan nos apresenta e não pararmos pelo menos alguns instantes para reflexão.

Infiel é dividido em duas partes: a primeira conta a história de Ayaan ainda na África, desde a sua infância (e até mesmo um pouco antes dela, já que comenta inclusive sobre a história de sua mãe e de seu pai) até o início da vida adulta. A segunda parte me pareceu um pouco menor (eu li no kindle, então não tenho uma noção exata do número de páginas usado) e conta sobre o período que Ayaan passou na Holanda, desde a sua fuga de um casamento organizado por seu pai com um completo desconhecido, passando pelo asilo recebido no país europeu e o seu engajamento na política holandesa, especialmente na luta pelos direitos das mulheres.

terça-feira, 27 de novembro de 2012

De segunda à segunda

Semana com dois encerramentos é demais para o meu pobre coraçãozinho.

Terminei Caprica, com muita dor no coração (como sentirei falta!) e fiquei cheia de dúvidas...que comentarei mais ao fim que é para não me acusarem de spoilers tanto de Caprica quanto de Battlestar Galactica.

Hunted é outra que chegou ao fim. Ou não. Tem uma conversa por aí que o Cinemax irá continuar a série sem a parceria com a BBC, mudará o formato e tal. Não é o ideal, mas talvez não seja terrível. Quanto a mim só tenho a dizer uma coisa: ai deles se não trouxerem o Adam Rayner de volta, porque eu posso amar Hunted pelo que ela é (e a série é realmente boa), mas 90% do motivo de eu ver a série é o meu amor pelo ator.

Durante a semana gastei uma noite vendo filme....Branca de Neve e o Caçador. Pois é, pois é...muita pipoca com manteiga e queijo.

Não tivemos Fringe, Grimm está no hiato e as séries de quinta-feira não passaram porque era Feriado de Ação de Graças nos Estados Unidos. Seria uma semana tranquila, não fosse a multidão de série empacada no meu HD.

Final de semana era para ser colocando séries em dia, mas foi total e completamente dedicado ao funeral do meu avô, que faleceu aos 92 anos de idade. E com ele, foi-se o último dos meus avós ainda vivo. A vida é uma coisa tão tênue...uma hora estamos aqui, 20 minutos depois não estamos mais.

Mas esse não é o tema deste post, por isso ficaremos com o que eu vi nessa última semana:


Doctor Who: Children in Need 2012
Homeland: 2x06 e 2x07
Caprica: 1x16, 1x17 e 1x18
Battlestar Galactica: Blood & Chrome: 05 e 06
Hunted: 1x08
The Hour: 2x01
Once Upon a Time: 2x08
Dexter: 7x09










Comentários breves:

terça-feira, 20 de novembro de 2012

De segunda à segunda

Tivemos feriado essa semana que passou e desta vez eu vi alguma coisa (inclusive Amanhecer - Parte II, mas deixa quieto).

A melhor parte foi começar a ver os minisodes de Battlestar Galactica Blood & Chrome. Como eu sinto falta de BSG! É até dolorido saber que serão apenas 10 minisodes....só dão um gostinho e depois nos deixam na mão novamente.

Também voltei a ver Caprica, que havia parado quando soube que foi cancelada (dois anos atrás). Não parei por não gostar, muito pelo contrário, foi por gostar tanto que a tristeza tomou conta de mim e não consegui continuar por medo de acabar e não ter mais.

E, para finalizar, aproveitei que não teve nem Once Upon a Time nem Revenge no domingo para colocar Dexter em dia (estava com 3 episódios atrasada). Surtei no episódio 7x08. Debra!!!!!

Mas como nem tudo foram flores, cancelaram Hunted, uma das séries que eu mais amo no momento. Não tenho muita sorte com as coisas que resolvo gostar...parece que nunca é o que cai no gosto do povo.

Bom, o que vi nesses últimos 7 dias:


Revenge: 2x07
The Vampire Diaries: 4x06
Fringe: 5x07
Grimm: 2x12
Caprica: 1x13/1x14/1x15
Elementary: 1x07
Glee: 4x05/4x06
Doctor Who: Children in Need 2012
Battlestar Gallactica Blood & Chrome minisodes: 01/02/03/04
Hunted: 1x07
Dexter: 7x06/7x07/7x08

terça-feira, 13 de novembro de 2012

De segunda à segunda

Minhas semanas em série estão ficando cada vez mais minguadas. Socorro!!!!

Essa semana que passou eu decidi acabar com a vida sedentária e fazer algum exercício físico. É claro que isso minou o pouco tempo que me restava para ver séries...ou talvez eu só precise me acostumar a ficar com o corpo quebrado de novo e depois voltarei a ter ânimo de ver algo.

Seja como for, nesses últimos 7 dias eu vi exatamente 7 episódios de séries. Mas não se desesperem!! Eu também li 02 livros, o que me deixou muitíssimo feliz.

O primeiro que li foi O Sentido de um Fim, de Julian Barnes (que eu não tenho a menor ideia de quem seja e  tampouco já tinha ouvido falar do livro, mas li porque gostei do nome e da capa) e posso dizer que foi uma grata surpresa. Bem gostosa a leitura e de uma perspicácia surpreendente. 

O outro livro foi A Sombra do Vento, de Carlos Ruiz Záfon. Simplesmente excepcional. O livro é de uma delicadeza ímpar e com uma profundidade sem tamanho. O autor conta uma história dentro de outra história e deixa o leitor encantado ao longo de todo o livro.  Não tem barrigas e nem pontos baixos, tudo é importante e encantador. Recomendadíssimo.

Também voltei a ler O Festim dos Corvos, do George R.R. Martin (o 4º na saga As Crônicas de Gelo e Fogo), que estava empacadíssimo há meses (na segunda narrativa pós prólogo). Meu retorno é muito recente, então ainda estou no início,mas pelo menos resta uma esperança de que, talvez, termine ainda este ano.

Mas chega de livros e vamos às séries.

Descrição ao lado da imagem, como sempre, e, talvez, faça alguns comentários pequeninos lá embaixo...só para ninguém reclamar de spoiler.


Last Resort: 1x01
The Vampire Diaries: 4x05
Fringe: 5x06
Grimm: 2x11
Hunted: 1x06
Once Upon a Time: 2x07
Elementary: 1x06










terça-feira, 6 de novembro de 2012

De segunda à segunda

Semana com feriado, perfeita para colocar as séries em dia....ou não. Dessa vez acabei investindo em outras coisas e acabei nas mesmas séries de sempre (e atrasada com algumas...Once Upon a Time, que sempre vejo no domingo à noite, só vi na segunda, o que me impediu de ver as que eu geralmente vejo na segunda...e aí por diante).

A boa notícia é que tivemos vários episódios bons...e finalmente Primeval: New World começou.

E alguém aí ainda não está assistindo Hunted? Imperdoável...a série é maravilhosa.
Também assisti de gaiato um episódio de Haven, por conta da participação da Claudia Black (amo a Claudia Black). Estou pensando seriamente em fazer maratona da série....está só na 3ª temporada, são temporadas de apenas 13 episódios, acho que dá para correr atrás se a preguiça deixar.

Bom, as séries da semana foram:



The Vampire Diaries: 4x04
Dexter: 7x03/7x04/7x05
Hunted: 1x05
Fringe: 5x05
Grimm: 2x10
Elementary: 1x05
Revolution: 1x06
American Horror Story: 2x03
Primeval: New World: 1x02
Haven: 3x07
X-Factor UK: 9x20/9x21
Once Upon a Time: 2x06









Resolvi assistir Cabin in the Woods (escrito pelo Joss Whedon e o Drew Goddard). Teoricamente é um filme de terror, mas a bem da verdade eu acho que ele é uma paródia bem feita dos terrores por aí existentes. Não sou fã do gênero, geralmente passo longe, mas como tinha uma quantidade grande de atores que eu gosto e era escrito pelo Joss, resolvi arriscar. Não me arrependi. Acho que é bem diferente dos filmes do estilo e vale a pena conferir.

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Desafio Literário 2012: Rabibi

Sinopse: Habibi pretende ser a saga de dois escravos fugitivos, unidos e separados pelo destino, vivendo no limite que separa a tradição da descoberta. Dodola, uma garota perspicaz e independente, foge de seus captores levando consigo um bebê. Eles crescem juntos no deserto, sozinhos em um navio naufragado na areia. Em meio a sentimentos cada vez mais conflitantes, os dois passam o tempo contando histórias. Assim, os leitores são apresentados também à origem do islamismo e de suas tradições, conforme as narrativas se combinam numa trama de aventura, romance, filosofia e tragédia.

Livro: Habibi
Autor: Craig Thompson
Tradutor: Erico Assis
Editora: Quadrinhos na Cia
Páginas: 672

O tema do desafio literário deste mês de outubro é Graphic Novel. Embora eu seja uma fã de quadrinhos em geral, penei para decidir o meu título. Acabei escolhendo Rabibi bem por acaso. Um dia passava pela livraria na hora do almoço e vi o livro ali, dando sopa, e resolvi folhear. 

O livro é enorme, mas tem uma arte gráfica belíssima e chamou a minha atenção. Acabei sentando em um dos pufes da livraria e iniciei a minha leitura. É um pouco vergonhoso admitir isso, mas a verdade é que não comprei Rabibi, eu o li na livraria, cada dia um pouquinho. Aproveitava os meus horários de almoço e o final de expediente (e a alegria da livraria ser bem em frente do escritório onde trabalho) para ler algumas (muitas) páginas do livro.

Até começar a leitura eu não tinha a menor ideia do que o livro se tratava. Eu não conhecia o autor e tampouco sabia que ele escrevera Retalhos e Carnet de Voyage (e muito menos tinha lido algum desses títulos). Por consequência, não sabia que ele tem uma predileção por esses temas polêmicos e bastante sérios, apesar de usar de uma linguagem bem lúdica e que emana simpatia em seus textos e desenhos.

De segunda à segunda

Mais uma semana e as coisas continuaram as mesmas. Eu tento, juro que tento dar um jeito nas séries encalhadas, mas chega segunda e eu percebo que só vi as mesmas da semana anterior. Oh, céus!

Dessa vez eu pelo menos tive uma boa desculpa: terminei de ler 3 livros que consumiram todos os meus minutos livres (um deles estava até criando teia de aranha, de tanto tempo que levei para finalizar, coitado).

Mas a vida é assim mesmo...umas semanas vemos mais, outras menos...


American Horror Story: 2x02
The Vampire Diaries: 4x03
Hunted: 1x04
Elementary: 1x04
Fringe: 5x04
Grimm: 2x09
X Factor UK: 9x16/9x17
Once Upon a Time: 2x05
Revenge: 2x04 / 2x05
Homeland: 2x04 / 2x05










Mais alguém está com um leve temor de onde vai dar esta coisa toda em Homeland? Os episódios continuam primorosos, mas não sei se estou muito feliz com o que estão criando para o futuro dos personagens...



segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Os livros mais bonitos da minha estante

Ando querendo gravar um vídeo há séculos, mas chegava em casa tão cansada que faltava-me força. Aproveitei que era final de semana e tinha visto o vídeo da Juh do Livros e Blablabla e coloquei a câmera a funcionar.

Nem todos os meus livros estão comigo e beleza de capa é uma coisa meio relativa, mudo de opinião a medida que o tempo progride e os meus gostos mudam, mas por ora é isso aí mesmo.

Como vocês, meus 12 livros mais bonitos da estante.



domingo, 28 de outubro de 2012

Livro: As Esganadas

Sinopse: Rio, 1938. Um perigoso assassino está à solta nas ruas. Seu alvo são mulheres jovens, bonitas e...gordas. Sua arma são irresistíveis doces portugueses. Com requinte de crueldade gastronômica, ele mata sem piedade suas vítimas e depois expõe seus cadáveres acintosamente, escarnecendo das autoridades.

Livro: As Esganadas
Autor: Jô Soares
Editora: Companhia das Letras
Nº de páginas: 262

Não sou a maior conhecedora de Jô Soares. As Esganadas foi o meu segundo livro do autor (o primeiro foi - oh, surpresa! - O Xangô de Baker Street), mas nunca duvidei de que fosse gostar da leitura. E de fato foi bastante prazeroso ler o novo livro.

Jô tem um toque de irreverência e uma veia cômica muito forte, mas ao mesmo tempo não deixa a história cair no ridículo. O interessante aqui é que o leitor sabe desde o início quem é o assassino e quais as suas motivações. Os únicos que não sabem são os policiais designados para o caso, o detetive português que acabou se envolvendo na investigação e a jornalista que aparece mais para lá da história. E é justamente neste aparvalhamento dos 4 investigadores que mora a comicidade da coisa toda. Os comentários tolos e fora de lugar de Calixto sempre me faziam rir e a qualidade das informações de Tobias Esteves era inegável...ele só não conseguia nada que o aproximasse do criminoso.

Achei particularmente intrigante o fato das vítimas serem gordas, mas sempre belas mulheres. E quem diz que não há beleza também nas pessoas acima do peso?

Aliás, duas passagens da história me chamaram a atenção e sinalizei para que não esquecesse de quota-las:

terça-feira, 23 de outubro de 2012

De segunda à segunda

A minha última semana foi bem parada. Não há muito o que dizer, simplesmente não deu tempo de assistir a muita coisa durante a semana e quando o final de semana finalmente chegou eu resolvi ver alguns filmes e ler alguma coisa (porque se tem algo em que estou ainda mais atrasada do que nas séries de TV, é na leitura...dá até medo olhar a pilha crescendo na cabeceira da cama).

Também estou pensando seriamente em desistir de algumas séries que só estão por aqui comendo meu tempo preciso e não embarcar em algumas novatas para assim, quem sabe, conseguir dedicar um tempo maior à leitura e até mesmo aos filmes, porque eu tenho negligenciado demais os coitados.

Por isso, nessa semana que passou eu só vi o seguinte:



- American Horror Story: 2x01
- Revolution: 1x05
- Emily Owens M.D: 1x01
- The Vampire Diaries: 4x02
- Elementary: 1x03
- Grimm: 2x08
- Hunted: 1x03
- Once Upon a Time: 2x04











Foi tão pouco que coube no screen capture da página do track.tv tudo  o que eu vi. Credo!
A boa notícia é que eu gostei muitíssimo de todos os episódios que vi. Se é para ver pouca coisa, que seja algo que realmente me deixe satisfeita, não é mesmo?

terça-feira, 16 de outubro de 2012

De segunda à segunda

Outra semana passou e mesmo com o feriado de sexta-feira (12/10) não deu para colocar muita coisa em dia. Eu tenho a sensação de que os dias estão encurtando...só pode!
Embora eu tivesse um milhão de séries para ver, acabei maratoneando XFactor UK, que estava com 06 episódios atrasados. Quisera não ter visto...só serviu para me fazer sofrer com a eliminação desse último domingo.

Seja como for, eis o que eu consegui ver nessa última semana. Vale lembrar que hoje, 16/10 é meu aniversário, então não vou usar do pouco tempo que me resta para escrever sobre os episódios. Um dia eu ainda hei de criar vergonha na cara e fazer uma notinha sobre cada um deles... mas se alguém quiser comentar, fique a vontade que é sempre bom saber o que o povo pensa.

- Revenge: 2x03
- Once Upon a Time: 2x03
- Homeland: 2x03
- Fringe: 5x03
- Sanctuary: 2x03
- Grimm: 2x07
- Hunted: 1x02
- Revolution: 1x02 - 1x04
- X Factor UK: 9x08 - 9x15
- Nashville: 1x01
- Beaty and the Beast: 1x01
- Arrow: 1x01
- The Vampire Diaries: 4x01
- 666 Park Avenue: 1x01

terça-feira, 9 de outubro de 2012

De segunda à segunda

Ver séries de TV sempre foi uma paixão, mas a vida andou tomando rumos um tantinho diferentes ultimamente e as prioridades mudaram e, por consequência, o tempo para ver a quantidade absurda de séries que eu via também se foi (e a paciência também).
Mas fã que é fã sempre faz um esforço, maratoneia aqui e acolá e, mesmo atrasada, vê o que ama. A semana que passou vi pouca coisa, mas antes pouco do que nada...

Só para registro, o que eu vi desde a última segunda-feira (se futuramente eu conseguir fazer um texto curtinho sobre cada série eu farei, mas hoje não tenho como):

- Homeland: 2x01
- Once Upon a Time: 2x01/2x02
- Dexter: 7x01/7x02
- Fringe: 5x02 
- Grimm: 2x06
- The Good Wife: 4x01
- Revenge: 2x01
- Glee: 4x04
- Elementary: 1x02
- Hunted: 1x01



quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Review: Doctor Who - The Power of Three (7x04) e The Angels Take Manhattan (7x05)



Série: Doctor Who
Episodio: The Power of Three e The Angels Take Manhattan
Temporada:
Nº do episódio: 7x04 e 7x05      
Data de Exibição: 22/09/2012 e 29/09/2012
Roteiro: Steven Moffat
Direção: Nick Hurran/Saul Metzstein

Para nós foram 2 anos e 5 meses, para os Ponds 10 anos, e para o Doutor foram alguns pingados aqui e acolá em 300 anos de sua vida. Ainda assim Amy e Rory deixaram suas marcas tanto na vida dos fãs quanto na do Doutor.

É curioso que eu tenha aprendido a gostar de Amy apenas nesta última temporada. Talvez porque ela finalmente amadureceu e só agora eu consegui perceber que muito do que eu não gostava na personagem (além da interpretação mequetrefe de Karen lá nos primórdios) era justamente a sua imaturidade. Mas Amy finalmente alcançou o seu auge e foi então que precisamos nos despedir.

Não há como negar que esta temporada (com exceção de A Town Called Mercy) foi dedicada aos Ponds. Incrível como eles conseguiram fazer parte da vida do Doutor por tanto tempo. Foi apenas um risquinho de tempo na existência dele, mas mesmo assim é mais do que eu estou acostumada.

O que me incomoda é esta mania de todo mundo dizer que ele não deve ficar sozinho, que quando Amy e Rory partirem ele deve encontrar outro companion....ora essa, ele viveu 300 anos desde que conheceu a pequena Amelia Pond! Ninguém vai conseguir me convencer que durante esse tempo todo ele ficou completamente sozinho apenas indo e voltando bem esporadicamente na vida dela. Esse não é o perfil dele! Pode ser que Moffat tenha esquecido que ao acrescentar vários anos (séculos!) à existência do Doutor isso implicaria em inúmeras aventuras fora das telas, mas não há como alguém de bom senso acreditar que o Doutor não acabaria recolhendo algum humano perdido por aí  (ou vários) em tantos anos.

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Review: Doctor Who - A Town Called Mercy (7x03)




Série: Doctor Who
Episodio: A Town Called Mercy
Temporada:
Nº do episódio: 7x03                    
Data de Exibição: 15/09/2012
Roteiro: Toby Whithouse
Direção: Saul Metzstein

Depois de uma semana fraca – na minha quase singular opinião – Doctor Who nos apresentou um episódio delicioso de assistir. Não sem defeitos, mas ainda assim prazeroso do início ao fim.

Esse terceiro episódio passou-se no velho oeste americano e, para interpretar o Xerife de Mercy (81 habitantes), quem melhor do que Ben Browder, americano até os ossos? E não posso negar que ele ficou muito bem com aquele bigodão e jeitão bruto do oeste selvagem. Uma pena que foi uma participação de um episódio só. Seria ótimo ter Ben Browder em Doctor Who mais vezes.

Gostei do desenrolar dos acontecimentos, gostei da música, da fotografia, de toda a discussão sobre a natureza do Doutor, do paralelo entre ele e Jex... Tirando a tristeza de ver Rory sendo tão pouco utilizado, e Amy sendo a voz da razão do Doutor (enquanto Rory fazia exatamente o contrário, o que, frise-se, é muito fora do seu personagem), simplesmente não senti o tempo passar.

Há 3 coisas que não há como deixar de lado:

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Review: Doctor Who - Dinosaurs on a Spaceship (7x02)




Série: Doctor Who
Episodio: Dinosaurs on a Spaceship
Temporada:
Nº do episódio: 7x02                    
Data de Exibição: 08/09/2012
Roteiro: Chris Chibnall
Direção: Saul Metzstein

O que dizer de um episódio que você não gostou quando a maioria esmagadora (sim, estou sendo redundante) adorou?

Pois é, sendo curta e grossa, Dinosaurs on a Spaceship não me atraiu e eu percebi que a coisa foi grave quando desisti de ver o episódio no próprio sábado na tentativa de gostar mais no dia seguinte. Pensei que, talvez, à luz do dia, descansada, num humor melhor eu iria ser capturada pelo espírito da aventura, mas que nada, achei tão chato quanto no dia anterior.

Confesso que desde o início (quando os spoilers e as imagens começaram a pipocar na internet) eu já não tinha me empolgado muito (não senti nenhuma expectativa pela ideia de dinossauros no espaço), mas sempre procuro ver os episódios com uma lente de amor (porque, afinal, acima de tudo sou fã) e com pensamento positivo, então eu acreditava de verdade que seria surpreendida quando finalmente assistisse ao negócio.

Infelizmente, o episódio não foi feito para mim. Mas, como em Doctor Who mesmo quando a coisa está ruim ela é boa, várias coisas positivas saíram do episódio e eu seria muito injusta se não as percebesse e comentasse. Então vamos começar pelo que Dinosaurs on a Spaceship trouxe de bom.

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Review: Doctor Who - Asylum of the Daleks (7x01)



Série: Doctor Who
Episodio: Asylum of the Daleks
Temporada:
Nº do episódio: 7x01
Data de Exibição: 01/09/2012
Roteiro: Steven Moffat
Direção: Nick Hurran

Entre vários spoilers acerca desta nova temporada de Doctor Who, quatro coisas eram certas:

- Cada episódio seria como um mini-filme;
- Os episódios seriam de certa forma isolados, sem aquela trama única que motivou as demais temporadas de Moffat;
- Os Ponds se despediriam nesta temporada e no especial de Natal conheceríamos a nova companheira (interpretada por Jenna-Louise Coleman);
- Asylum of the Daleks faria dos Daleks vilões novamente temidos pelos fãs.

Uma semana antes da estreia oficial o canal BBC lançou a webserie Pond Life em 05 episódios minúsculos, mas que nos dão uma ideia de como é a vida de Amy e Rory quando o Doutor não está entre eles, ou melhor, quando eles não estão viajando com o Doutor, pois presente ele esteve em todos os momentos, invadindo o quarto do casal, deixando um Ood por um tempo aos cuidados dos dois e enviando mensagens na secretária eletrônica sempre que possível.

Uma grande sacada a webserie, pois eu sempre tive curiosidade sobre a vida dos dois longe do Doutor e mini-episódios é a forma perfeita de mostrar um pequeno relance para os fãs, sem deixar a coisa chata e desinteressante. O último episódio foi meio deslocado, já que nada dava indícios de uma briga entre Rory e Amy, mas serviu para introduzir o primeiro episódio da temporada.

Ainda antes da estreia, foi lançado para os assinantes do iTunes nos EUA (para desprazer dos fãs britânicos) um prequel explicando o chamado do Doutor por Darla VonCarlson, que o levou ao Parlamento Dalek na estreia da temporada. Em uma espécie de ‘Inception’ alguém envia ao Doutor uma mensagem em sonho (como conseguiram eu não sei, assim como não sei onde é o lugar para onde ele foi levado em sonho e disse lembrar, mas que obviamente o deixou incomodado) e as coordenadas para onde ele deveria seguir. E é assim que acabamos em Asylum of the Daleks, o episódio do último sábado.