quinta-feira, 2 de abril de 2015

Por que ainda não tem em português!??




"Mitchell é tão genial que apresenta essa última história de maneira original e sedutora – ele chega ao requinte de inventar uma espécie de dialeto entre esses últimos terrestres capaz de desafiar mesmo quem tem boa fluência no inglês" (Zeca Camargo, sobre Cloud Atlas - o grifo é meu)

SOCORRO!!!!! Já está complicado o inglês do restante do livro, só fico imaginando como será a última história...




****
Cá entre nós, agradeço o dia que li este texto do Zeca Camargo falando sobre Cloud Atlas, o livro (que eu não sabia que existia) que deu origem ao filme que no Brasil ganhou o nome "A Viagem". Demorou, mas finalmente engatei a leitura e estou amando. Por que até hoje não tem esse bendito livro em português!??


quinta-feira, 19 de março de 2015

Eu não me dou com Lucie Miller.


Olha, eu sou mega fã do 8° Doctor, mas não dá mais para aguentar a Lucie Miller. Acho que de todas as companions que já conheci ela é a única que não gosto. Mas não gosto mesmo.   

Acabei de ouvir Sisters of the Flame e The Vengeance of Morbius e só passei raiva. Ela aparece demais...nem na hora que eu teoricamente deveria simpatizar com ela (as lágrimas, a raiva, o desespero, a indignação, o discurso exaltado) eu consegui aguentar a voz e a personalidade da garota. Tudo o que eu queria é que acabasse logo o áudio. Assim fica difícil.

E esses dois episódios foram os dois últimos episódios da 2ª temporada da série The Eight Doctor Adventures, ou seja, ainda restam duas temporadas inteiras desse tormento que se chama Lucie Miller.

Ninguém merece!





sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

O dia em que Good Omens foi adaptado para radio drama...


2014 terminou com um presente prá lá de especial da BBC Radio 4: a tão esperada adaptação de Good Omens (de Neil Gaiman e Terry Pratchett) 
É claro que eu só fui ouvir o negócio no início de 2015 (mais precisamente nessa semana que passou), mas quem se importa com o quando? O que interessa mesmo é que eu ouvi (você aí, que fica ouvindo música enquanto faz exercício, caminhada, limpa a casa....isso é passado! O negócio é ouvir audio drama...vá por mim).


As notícias desta adaptação já são de longa data, mas eu não tinha me atualizado sobre a data de lançamento, por isso fiquei surpresa quando soube que já estava no ar. E é facilmente encontrado por aí (no próprio site para os que tem acesso, ou então nos torrents da vida, ou ainda graciosamente disponibilizado aqui). O único porém é que a pessoa precisa obrigatoriamente entender inglês, já que é impossível traduzir/legendar um áudio drama.

Eu confesso que não sou fã n° 1 de Good Omens, inclusive já fiz um texto com minhas impressões quando li o livro. Mas tem certos textos que funcionam muitíssimo melhor em áudio do que no papel. Good Omens é um desses textos. Ficou muito mais leve, divertido e rápido. Enquanto no livro eu penei para chegar ao final, no áudio drama eu ouvi com ansiedade os quatro primeiros episódios seguidos (menos de 30 minutos cada) e terminei os dois últimos (pouco mais de uma hora e meia) no dia seguinte. A história flui, as vozes são muito bem colocadas (adorei o elenco) e os sons de ambiente (sei lá como se chama isso!) fazem o ouvindo se sentir no meio dos acontecimentos.

terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Metas Literárias

Início (ou final) do ano todo mundo faz a sua meta literária e sai espalhando por aí. Eu não gosto muito de compartilhar minhas metas, porque morro de medo de falhar miseravelmente, então sempre tentei cumprir meus objetivos em silêncio. Verdade seja dita que minhas metas não costumam envolver muitas dificuldades. Minha tendência sempre foi um número específico de livros e tentar sair da zona de conforto, porque sou o tipo de leitora que agarra em um gênero e não larga mais, ou então, em um autor e fica bitolada ali. Por isso que eu tentava sempre participar de algum desafio literário, para me forçar a chacoalhar a mente e sair da toca.

O interessante é que as metas costumam ser criadas em períodos de férias ou recesso de final de ano, que é justamente a época em que as pessoas estão mais tranquilas e com tempo disponível para ler. E é aquela beleza...você esquece completamente que ao longo do ano as coisas não serão as mesmas, a vida enlouquece, o trabalho suga o teu tempo e quando você percebe tem que ler no banheiro se quiser dar conta do livro que se propôs a ler. É aquela doideira.

Óbvio que eu não sou diferente e na empolgação do recesso, estabeleci três metas para 2015 e, pela primeira vez em algum tempo, não foquei em um número de livros que quero ler:

1) Quero dar continuidade às séries literárias. 
Percebi que tenho o péssimo hábito de ler um ou dois livros de uma série e então deixar para lá. Algumas é porque a série é horrível mesmo, mas alguns é simplesmente porque fico atolada de coisa e deixo para depois e esse depois nunca chega.

As séries que eu lembro que estou lendo (e pretendo continuar em algum momento):

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Livros de 2014

Eu sou dessas....ao invés de fazer a minha retrospectiva de 2014 no final do ano, deixei para fazer os posts todos no início de 2015.
Vergonha, tsc, tsc, tsc.

Eu tinha uma meta de leitura para 2014: ler um livro por semana (foram 52 semanas no ano, embora eu só tenha me dado conta desse número em dezembro) ou, pelo menos, 48 livros no ano.

As leituras estava fluindo tranquilamente (bom, não tão tranquilamente assim...eu emperro em alguns, tem épocas que só vejo séries de tv) até que houve uma mudança na minha rotina diária a partir de outubro. Então o tempo rareou e eu tive que fazer um grande esforço para conseguir manter a leitura em dia. Infelizmente não sou dessas pessoas que conseguem ler em movimento (passo muito mal, nem mensagem no celular eu consigo ler), o que significa dizer que um tempo preciso eu acabo desperdiçando. É bem verdade que nos dias que eu resolvi voltar para casa caminhando (naquela tentativa básica de sair da vida sedentária) eu aproveitar para ouvir vários audio dramas de Doctor Who, mas ainda assim...




quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

Os Filmes de 2014.

Primeiro dia do ano e, para não quebrar a tradição, eis os filmes vistos em 2014. Foram 48. Menos do que eu queria, mas o suficiente se pensar na trinca filmes/séries de tv/livros espalhados pelo ano.
Nem me atrevo a fazer uma lista dos 10 que eu mais gostei, porque eu tenho uma memória horrível e sou incapaz de decidir em votações desse tipo. 

De janeiro a março:

01) Frozen
02) Much Ado About Nothing
03) Dallas Buyers Club (O Clube de Compras Dallas)
04) 47 Ronins
05) The Numbers Station (Códigos de Defesa)
06) Toki o Takeru Shojo (The Girl Who Leapt Through Time)
07) Only Lovers Left Alive (Amantes Eternos)
08) The Wolf of Wall Street (O Lobo de Wall Street)
09) The Monuments Men (Caçadores de Obras-Primas)
10) Robocop
11) Her (Ela)
12) Philomena



quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Desafio Literário do Tigre 2014: Guilty Pleasure

E chegamos ao último mês do ano (bom, ao último dia do último mês, porque eu me enrolei para postar mais uma vez). É com tristeza no coração que encerro o Desafio Literário do Tigre, o qual veio para ocupar o espaço do Desafio Literário no meu coração e no meu planejamento anual de leitura. Para o próximo ano preciso organizar novas metas...

DESAFIO LITERÁRIO DO TIGRE
TEMA 12: GUILTY PLEASURE

Livro 01: As Feiticeiras de East End
Autora: Melissa de la cruz
Editora: ID

Livro 02: O Beijo da Serpente
Autora: Melissa de la cruz
Editora: ID



A ideia era ler algum livro que nós tivéssemos vontade, mas que sentíssemos uma cerca vergonha de confessar que queríamos ler. Sabe como é, os famosos guilty pleasures. Eu não conseguia pensar em algum título, pois todos os que eu fico meio envergonhada de gostar eu já li... mas lembrei desta série de tv que eu amo e que sei que passa anos-luz de ser uma série "de respeito": Witches of East End.

E foi o meu amor pela série (já cancelada) que me fez escolher os livros que a originaram. Li logo de cara os dois primeiros livros (que já foram lançados em português) e apenas o terceiro ficou para trás.