sexta-feira, 7 de maio de 2010

Glee - Bad Reputation (1x17)

Série: Glee
Episódio: Bad Reputation
Temporada: 1ª
Número do Episodio: 17
Data de Exibição nos EUA: 04/05/2010


Quando assisti o episódio piloto de Glee ninguém diria que eu viria a amar a série tanto quanto amo atualmente. Lembro de ter achado legalzinha e só. Assisti ao segundo episódio mais por obrigação (e por ter gostado dos números musicais) do que por qualquer outra coisa. Mas semana após semana eu fui me rendendo a todo o espírito da série. Os personagens foram se desenvolvendo, criando corpo e história e cada um ganhou um lugar garantido em meus pensamentos. Alguns de forma positiva, outros nem tanto, mas todos definitivamente tem o seu espaço. Mas foi apenas após o regresso do longo hiato que meu relacionamento com Glee mudou. De uma série legal e que eu não perdia de jeito nenhum, tornou-se pura obsessão.

Obsessões são engraçadas. Elas começam não se sabe como ou porque, apenas se instalam em nossa vida e bagunçam a nossa mente e nossos gostos. Eu sei exatamente o momento que obcequei em Glee, o que não consegui entender ainda foi como deixei isso acontecer.
O momentum foi quando Rachel cantou Hello com Jesse na biblioteca. Não achei o rapaz particularmente bonito ou qualquer coisa nesse sentido, mas algo na forma como ele olhava para ela e usava a sua voz me tocou tão profundamente que não consegui tirá-lo da cabeça. A partir daquele instante Finn morreu para mim como parceiro romântico de Rachel e virei uma St. Berry (por que o povo teima em criar apelido para os fans de um ou outro tipo de casal?). E parecia uma torcida destinada ao fracasso, já que parecia óbvio que Jesse se aproximara de Rachel com algum motivo escuso. Derrubar o New Direction ou abocanhar a líder vocal do grupo para o Vocal Adrenaline eram as principais hipóteses, mas mesmo assim a química entre os dois era tão grandiosa (se bem que Rachel tem química até com uma tartaruga se quiser. Nunca vi igual!) que eu me rendi completamente ao casal.

E foi no clima de total adoração (nessas últimas semanas assisti e ouvi inúmeras vezes o musical Spring Awakening no qual Lea Michele e Jonathan Groff interpretavam os papéis principais, assisti um sem número de entrevistas, além de baixar o filme Aconteceu em Woodstock para ver Groff) que assisti Bad Reputation ainda de madrugada. Minha alegria é que minha espera não foi em vão. Depois de dois episódios onde Jesse esteve musicalmente mudo, Glee nos trouxe duas músicas que o fizeram brilhar. E deu para entender o motivo do rapaz ser o vocal masculino principal do Vocal Adrenaline.

Mas ainda melhor do que sua interpretação de Run Joey Run e Total Eclipse of the Heart foi o personagem finalmente ter a oportunidade de mostrar que tem sentimentos. Se eles são verdadeiros ou simulações, só eles é quem sabem, mas eu suspeito que a dor naquele olhar (e deixem-me dizer mais uma vez, e que olhar!) não foi falsa, porque se foi, Jesse St. James é um ator ainda melhor do que eu imaginava quando o vi pela primeira vez.

O episódio em si falou sobre a recuperação da reputação. O interessante é que, pra variar, a única que saiu por cima foi Sue Sylvester, porque o restante conseguiu se afundar ainda mais após os seus projetos.

Eu particularmente não achei grande coisa a união da dupla Sue Sylvester e Olivia Newton-John. Gostei da historia de Sue, da gravação que foi parar na internet, dos momentos passados com o diário (sempre hilários) e ainda mais da interação de Sue com a irmã. É muito legal ver o lado mais emocional de Sue. Mesmo assim, achei a participação de Olivia Newton-John desnecessária e aleatória, pra não mencionar o vídeo ridículo (embora eu tenha gostado da interpretação de Sue de Physical).

E na contramão da maioria, achei dispensável a aparição de Molly Shanon. Foi chata e sem graça. Não assistia os programas com a atriz, mas o tipo de comédia escrachada que dela parece emanar não faz o meu tipo. Acho entediante.

Já Will finalmente precisou enfrentar a conseqüência de seus atos. Tudo bem que Emma é quem disse que ele precisava se encontrar, curtir um pouco sua solteirice e tudo o mais, mas que ele merecia ouvir o sermão ele merecia. Não por ter quase ido para a cama com Shelby ou abrigado April em sua casa, mas sim por ser tão indeciso e inepto para lidar com as mulheres com quem se envolve. E fiquei orgulhosa de Emma. A conselheira tem procurado vencer suas dificuldades e enfrentar Will foi um ato de coragem e de afirmação da própria auto-estima.

Quem conseguiu escapar de suas faltas sem maiores conseqüências (como a expulsão ameaçada) foi Quinn. Depois que revelaram ser ela a autora da Glist pareceu totalmente óbvia a sua autoria. Como pude não ter sequer cogitado? Ela era sem dúvida a que mais ganharia com a lista. E não posso nem começar a imaginar o que a garota está sentindo, caindo do topo para abaixo do chão. É um destino cruel e, portanto, totalmente compreensível a reação da garota. Mas imagino que ela não pensou muito bem nas conseqüências. Tenho certeza que sequer passou pela sua cabeça que os outros membros do New Directions levariam aquela lista bastante a sério e estariam dispostos a irem até as últimas conseqüências para reverterem a situação.

Tudo bem para Kurt, Mercedes, Artie, Tinna e Brittany com quem nada mais grave aconteceu, já que são tão fofos e gostáveis que nem as senhorinhas da biblioteca resistiram ao charme do grupo (apesar da música medonha e das calças que me fizeram sentir vergonha por eles), mas com Rachel, Puck, Jesse e Finn a coisa não foi bem assim.Totalmente obcecada com o sucesso e os holofotes, Rachel não mediu as conseqüências do seu ato. Tudo em que conseguia pensar era como reverter a sua colocação na Glist. E para isso usou dos três homens de sua vida.

Triste para a personagem, ótima notícias para nós fãs, que finalmente voltamos a ouvir as vozes de Mark Salling e Jonathan Groff. E cá entre nós, Puck tem a voz muito mais bonita que a de Finn. É triste ser obrigada a ouvir Finn cantando episódio após episódio enquanto Puck é relegado ao segundo plano. Abençoada seja Rachel que lembrou de seu pequeno affair e nos proporcionou belíssimas cenas com o bad-boy.

Eu particularmente adorei Run Joey Run. A música até pode ser brega, mas eu adorei. O clipe foi delicioso de assistir e tinha bem os ares de vídeo caseiro, com aquele povo todo passando na frente de Rachel no corredor da escola ou ainda as imagens de coração e afins. Mas o melhor foi a reação dos três rapazes enquanto assistiam o vídeo. Raiva, indignação, humilhação, divertimento, fúria, mágoa...tudo podia ser visto no rosto dos homens de Rachel Berry.

Dessa vez a garota exagerou, mas exageraram ainda mais Finn e Jesse na reação. Jesse eu compreendo, afinal é o namorado oficial que desistiu de tudo por ela e para quem a garota nada contou e o fez passar por uma humilhação que...bem, ele sabia a personalidade de Rachel quando a pediu em namoro, era de se esperar algo assim, não? Mesmo assim, adorei a cena em que ele termina com ela e a manda não falar com ele quando estiverem em barras próximas nas aulas do clube de ballet. Eu nem sabia que os dois faziam ballet juntos!!

E por falar em ballet, imagino que Lea Michele não seja bailarina clássica. Seus movimentos foram bonitos (e provavelmente ensaiados à exaustão), mas tive a sensação de que ela, apesar de saber dançar, não tem intimidade com o clássico. Tem algo a ver com a postura e mesmo o formato do corpo (lembram de Summer Glau dançando? Sentem a diferença?). Eles tiveram o cuidado de colocar os outros dançarinos fazendo os movimentos clássicos enquanto ela se concentrou em dançar com Jonathan Groff, o que facilita esconder esse pequeno defeitinho.

Por fim temos Finn. Eu tenho a sensação de que Finn é extremamente egoísta e centrado nele mesmo (o que, relembrando, o episódio passado já havia demonstrado). Primeiro foi o surto quando Jesse anunciou que entraria para o Glee club (“por que todo mundo resolveu me machucar!?”) e agora a forma como reagiu ao clipe de Rachel, como uma ofensa pessoal. Acho que ele não se lembra de ter cozinhado a garota em banho-maria por meses, terminado com ela na cara dura, ido para a cama com Santana... Definitivamente Finn não tem o direito de reagir como se ela fosse o ser mais desprezível da face da Terra. Não senti um pingo de dó do garoto, muito pelo contrário.

Já de Jesse...cortou meu coração a dor do seu rosto no final de Total Eclipse of the Heart. E Rachel mais uma vez está sozinha, isolada e desprezada. Um belo episódio com um final que me deixou em lágrimas.

Semana que vem nada de Jesse St. James, já que Jonathan Groff assinou para apenas oito episódios nesta temporada. Queiram os produtores que ele volte para a – já certa – segunda temporada.

*****

* Brittany tem sido uma graça nos episódios. Adorei vê-la dizendo que estava perdida por ter tomado todos os remédios de uma vez e ficado meio confusa.
* Particularmente interessante a investigação do Sr. Shuester para descobrir o autor da Glist. Kurt perguntando se ele vinha assistindo muitos episódios de Law & Order foi precioso.
* Há teorias que correm por aí de que Jesse na verdade esteja junto de Rachel a mando de Shelby por Shelby ser na verdade a mãe de Rachel.
* Puck com a máscara do Fantasma da Ópera foi tudo de bom.
* A expressão que Jesse fez quando começou Run Joey Run (e viu Puck no clipe) foi mais ou menos a que eu fiz quando vi Puck ceder lugar para Jesse no carro. Nem passava pela minha cabeça o que Rachel tinha aprontado.
* Quando o Sr. Shuester começou o rap eu quis morrer. Não agüento mais vê-lo cantando rap. É chato e de mau gosto. Mas gostei da dança dos meninos.
* Este texto merecia outra imagem de abertura, mas a verdade é que eu adorei tanto ver Santana e Brittany de anjos que eu tive que usar esta.

4 comentários:

Kelnner disse...

Johnathan assinou para 8 episódios??? mas ele participou somente de 4 até então... :-p acredito que ele volta para o fim da temporada, não??? esperamos que sim... eu adorei a cara da Rachel no final de "Run Joey Run", primeiro a de surpresa e depois caindo a ficha Berry de ser com direito a piscadela a lá Walt Disney cartoons... muuuuuuuito bom!!! E concordo com vc em relação ao Finn, mas tenha certeza que o lance dele com Santana vai voltar aos olofotes... em Glee, tudo sempre retorna pra te atormentar... ;-) Muito legal a resenha.

Mica disse...

Sim, Kelnner, Jonathan assinou para 8 episódio e com certeza retorna (mas não no episódio que vem). A produção vem pensando em trazê-lo para a segunda temporada e eu sinceramente estou na torcida.

Adorei aquela piscadela da Rachel no final do vídeo. Totalmente nonsense!XD

Fico feliz que tenha gostado da resenha ~_^.

ANA COLEMONTS disse...

Olá, eu sou uma fã obcecada por Glee, acidentalmente, estava procurando sobre o 1x17 no Google, e apareceu sua página, e resolvi ler. Concerteza nossas opniões são muito parecidas, amei a crítica sobre o episódio. No começo de Glee, eu era totalmente a favor do Finn e da Rachel ficarem juntos, porque achava o Finn muito bonito, e ele e a Rachel formavam um casal bonito, e as cenas deles mexiam comigo. Mas então eu começei a ver os novos episódios ( a partir do 1x14) e fiquei totalmente entretida com o momento, fazia muito tempo que algum casal da tv me deixava assim! Foi lindo aquele momento do Jesse com a Rachel na biblioteca, além da música ser perfeita, foi um momento tão bom, e nossa, desde dai eu começei a ver o Finn como um idiotinha, porque em todas as características o Jesse é muito melhor que ele, ele só ficou amolando a Rachel, e fez ela de idiota, e quis dar uma de gostosão e perdeu ela. O Finn tava brincando de sair com a Rachel, e ela conheceu alguém de verdade, tava vivendo um romance de verdade, concerteza esse romance entre o Jesse e a Rachel é épico, não vejo a hora de eles voltarem *-*. Chorei muito no final do 1x17 ):, mas puts né, é a Rachel, bem a cara dela de fazer merda, e ainda no final fala " Sabia que você ia quebrar meu coração" como se fosse culpa do Jesse. Mas, acho que a única coisa que ficou faltando foi um solo do Jesse, pelo menos, no episódio. Claro que ele cantando Hello foi muito bom, mas pro 1x17 só deu pra escutar ele cantando uns pedaços, esperava mais. Mas é isso ai, gostei muito do blog, parabéns, beijos.

Anônimo disse...

Cês naao teem noçao do quaao St Berry eu soou * (maais St do que Berry ... mais tudo beiim ) choreei qdo no fim do episodio e tambem me diverti Jesse teem umaas expressoes engraçadas as vezes diferente do Finn que tem kra que babaca !

Postar um comentário