terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Desafio Literário/Férias - Darkly Dreaming Dexter

Sinopse: Dexter Morgan é um educado lobo vestido em pele de ovelha. Ele é atraente e charmoso, mas algo em seu passado fez com que se transformasse numa pessoa diferente. Dexter é um serial killer. Na verdade, é um assassino incomum que extermina apenas aqueles que merecem. Ao mesmo tempo, trabalha como perito da polícia de Miami... Em Darkly Dreaming Dexter, o livro que deu origem à aclamada série de TV, o adorável matador depara-se com um concorrente de estilo semelhante ao seu, encanta-se e incomoda-se com ele, prevê seus passos... A escrita requintada de Jeff Lindsay nos faz mergulhar na mente de um dos personagens mais ambíguos da história da literatura de suspense. Nunca o macabro foi tratado com tanto refinamento e leveza. Dexter Morgan é uma obra-prima.

Livro: Darkly Dreaming Dexter
Autor: Jeff Lindsay

Sou fã de Dexter desde que a série apareceu na tv pela primeira vez. Entre altos e baixos, continuo gostando muitíssimo do personagem e fico feliz pela renovação para a sexta temporada. Mesmo assim, nunca tinha me interessado em ler os livros que originaram a série...até o início deste ano, quando uma amiga emprestou os três primeiros para que eu lesse.
Darkly Dreaming Dexter (que saiu no Brasil com o estranho nome Dexter - A Mão Esquerda de Deus), é bastante similar à primeira temporada da série. Entretanto, tem um ar bem mais soturno, ácido e até mesmo divertido.
Os personagens são basicamente os mesmos, com algumas alterações aqui e outra acolá (nomes, algumas características físicas e o destino que alguns tem ao final). Mas aquilo que realmente importa, que é o psicopata rigorosamente treinado pelo pai para não matar inocentes e não ser capturado, continua lá, imutável. Ou talvez não. Dexter no livro é muito mais charmoso, engana muito melhor e ao mesmo tempo desperta muito mais suspeita.
A irmã, Deborah, pareceu-me mais esperta no livro (e pronta a aceitar o monstro que é o irmão), embora seja irritante a forma como exige de Dexter ajuda para ser promovida. Por outro lado, é interessante observar Dexter tentando deixar de lado o seu fascínio pelo assassino serial que surgiu em Tamiani (para ele, o trabalho de seu igual é uma obra de arte) para ajudar Deborah a entrar para a Homicídios. É claro que o motivo é que Harry (o pai) sempre o ensinou a não deixar-se levar pela emoção, a manter-se afastado, a não personalizar um caso, e mais envolvido do que ele se sente pelo novo serial killer é impossível, então, a solução é não seguir seus desejos obscuros e ater-se à razão: ajudar Deb.
Outra coisa que me chamou a atenção é a dúvida de Dexter em relação ao criminoso (e por isso o nome Darkly Dreaming Dexter é tão perfeito e, devo admitir, difícil de traduzir). Não é apenas a arte do assassino que fascina Dexter, mas a sua ligação quase psíquica com ele. Entender o modus operandi do criminoso não seria tão estranho se não fosse o fato de Dexter compreender até os detalhes mais estranhos e incríveis. É acordar no meio da noite sabendo que houveram mortes, quantas e onde procurar. Todos os indícios levam o protagonista a acreditar que é ele o assassino, mas que tem agido durante o sono, inconsciente. E quem somos nós para discordar, já que não há pistas conclusivas contra a sua teoria?
Não há pontos baixos no livro. Neste caso, até mesmo a narração em primeira pessoa dá um toque de requinte e intimidade. Não é que desculpamos Dexter ou nos identificamos com ele, apenas compreendemos os meandros escuros de sua mente.
E a história toda é um crescendo. Os crimes cometidos por Dexter (meticulosos ou afobados, demonstrando exatamente o estado psicológico do protagonista), os assassinatos em série, os erros absurdos da polícia (em especial da Detetive LaGuerta), os sonhos estranhos que prenunciam as mortes, tudo nos dirige para o clímax da história. E que clímax! O final é de tirar o fôlego e o desfecho não poderia ser mais apropriado.
Tão semelhante à série de TV e ao mesmo tempo tão diferente. Leitura obrigatória.
****************
Desafio de Férias 2010/2011

Um comentário:

Ana Carolina Nonato (BLOG O DESAFIO DE CADA DIA) disse...

Olá!

Adoro obras que têm os mesmos personagens, enredos parecidos e histórias diferentes! Ainda não tive tempo de assistir a Dexter e ler os livros, mas assim que puder o farei e retorno para compartilhar a experiência!

Abraços e sucesso!

Postar um comentário