terça-feira, 24 de maio de 2011

Livro: As Crônicas De Gelo E Fogo, V.1 - A Guerra Dos Tronos

Sinopse: Em 'A Guerra dos Tronos', o primeiro livro da série 'As Crônicas de Gelo e Fogo', George R. R. Martin traz uma história de lordes e damas, soldados e mercenários, assassinos e bastardos, que se juntam em um tempo de presságios malignos. Cada um esforçando-se para ganhar este conflito mortal - a guerra dos tronos. Mistérios, intrigas, romances e aventuras ilustram as páginas deste livro.

Livro: As Crônicas De Gelo E Fogo, V.1 - A Guerra Dos Tronos
Autor: George R.R. Martin
Editora: Leya Brasil
Nº de páginas: 592

É difícil você começar a resenhar um livro quando há uma série de tv no ar que segue fielmente (ou tão fiel quanto é possível na transposição para outra mídia) a história do bendito, e um milhão de pessoas já estão por aí destrinchando a série passo a passo. Então não vou gastar meus dedos digitando sobre o que se trata As Crônicas de Gele e Fogo já que a esta altura do campeonato todo mundo já sabe. 

Mas se você é um dos poucos que vive afastado dos torrents ou dos canais de TV a Cabo, resumindo bem rapidamente (e sem spoilers, porque eu prezo a minha vida), o primeiro livro das crônicas escrita por George R.R. Martin dá os contornos do que será esta história que seguiremos ao longo de prováveis sete livros.

Guerra dos Tronos divide a história em três núcleos principais: o jogo de poder nos Sete Reinos; a vida dos irmãos Targaryen (supostamente descendentes dos dragões e filhos do antigo rei dos Sete Reinos, agora exilados no Leste para além-mar); e as dificuldades enfrentadas na Muralha.

Nos Sete Reinos a história se inicia com a morte da Mão do Rei e a nomeação de Ned Stark (amigo de longa data e quase irmão do Rei Robert Baratheon) para o cargo de Mão. O problema é que os Stark não se dão com os Lannister, e a Rainha é uma Lannister. E mais, é amante do próprio irmão gêmeo, que por acaso é parte da guarda especial do Rei.

No Leste, Viserys Targaryen, o único filho ainda vivo do rei louco Aerys Targaryen (assassinado por Jaime Lanister no golpe que levou Robert ao trono) casa a irmã Daenerys com o principal khal dos Dothrakis, uma tribo de selvagens nômades, com o objetivo de conseguir um exército para marchar em direção aos Sete Reinos e retomar o trono que acredita ser seu de direito.

Na Muralha é onde acontecem os casos estranhos e sobrenaturais do livro. Ela está na fronteira, separando o reino das terras selvagens ao norte e é guardada pela Patrulha da Noite, uma ordem de homens jurados que dão a vida para a proteção da Muralha. Os irmãos de negro não seguem ou servem ao rei, mas sim à segurança do reino. Ali, não importa a linhagem do homem que se une à Patrulha, são todos irmãos e não interferem com os assuntos fora da Muralha. É para onde vai Jon Snow, filho bastardo de Ned Stark, e onde também vivia Ben Stark, irmão de Ned.

E é na Muralha que ficamos conhecendo os Outros (ou Caminhantes Brancos, porque isso aqui não é LOST), cuja origem é desconhecida, mas que trazem os mortos de volta à vida, mas não como os humanos que eram, e sim como aberrações sedentas por morte e destruição.

O grande diferencial no livro é a forma narrativa. O autor não dividiu a história em capítulos, mas sim em narradores. Cada parte é contada pelo ponto de vista de um dos personagens (no primeiro livro, são escrutinadas as histórias de Eddard, Catelyn, Bran, Jon, Arya, Sansa - todos Stark, Tyrion Lannister e Daenerys Targaryen), mas é tudo simultâneo e em terceira pessoa. Nenhuma vez a história retrocede para contar o ponto de vista do outro personagem. O enredo sempre avança, apenas muda o foco dos acontecimentos. Se a  história de Jon, por exemplo, é interrompida, quando retorna para ele já se passaram alguns dias e os efeitos do que se passou com os outros personagens estão sendo sentidos por ele. É uma forma inteligente de movimentar a história e aproveitar ao máximo os personagens.

Outro trunfo do autor é não ter pena das suas criaturas. Qualquer um pode morrer ou ter um destino cruel batendo às suas portas. O leitor inadvertidamente cria vínculos somente para ver seus personagens sucumbirem na página seguinte. E tudo muda muito rápido, assim como na vida. Algumas coisas até são previsíveis, mas a maioria nos é exposta como um soco no estômago.

O mais interessante é que o leitor não sabe para quem deve torcer ou mesmo se deve torcer para alguém. Como todos os lados nos são apresentados, com seus defeitos e qualidades, porque aqui não existe pessoas unidimensionais, podemos criar expectativas com qualquer personagem ou qualquer posição neste jogo de tronos, já que em nenhum momento fica claro quem vai vencer no final.

E por falar em final, ele é tão impactante que o leitor termina desesperado para iniciar o próximo livro das crônicas.

Eis um exemplo de livro bem redigido, bem elaborado e com personagens reais. Mesmo quando o fantástico e o sobrenatural estão presentes, o que realmente importa é como aquelas pessoas de carne e osso irão reagir nas situações que lhes são apresentadas.

Sim, Guerra dos Tronos é a atual 'modinha', mas desta vez alcançou o seu status por merecimento, por isso, se você é o tipo de leitor que foge dos livros que todo mundo está lendo, não cometa este erro com Crônicas de Gelo e Fogo. Faça um favor para você mesmo e leia o mais rápido possível antes que algum desavisado solte algum spoiler gigantesco e você queira se matar por não ter lido mais cedo.

4 comentários:

naomi disse...

tou super a fim de ler, mas no papel e em inglês...

Mica disse...

Eu li metade no computador e metade no papel....ia na livraria, sentava lá e lia ou quando estava na casa do meu amigo que tem o livro. Mas li em português.

Pentacúspide disse...

vou esperar que saia no cinema, lol.

BONITO SJM disse...

acabei de ler...nossa nota 10 esse livro..Ja comprei o segundo a furia dos reis . me prendeu mais que senhor dos aneis...esptacular muito viciante.. espetacular e serie da hbo não deixa nada desejar...leitura obrigatória ...

Postar um comentário