sexta-feira, 23 de julho de 2010

True Blood: Trouble (3x05)

Série: True Blood
Episódio: Trouble (3x05)


Eu não tinha planos de escrever reviews de True Blood, mas como essa semana fiquei a responsável de escrever para o Teleséries, resolvi postar o texto aqui também.
Todo mundo reclamando desta temporada de True Blood e eu, eternamente do contra, achando que a série finalmente está se redimindo do fiasco Maryann. Nem tudo está perfeito, mas eu gosto desta divisão de núcleos, este acréscimo explosivo de personagens. Talvez porque, como fã incondicional dos livros da Charlaine Harris, eu esteja mais acostumada com essa miríade de personagens. É claro que, mesmo lá, Sookie é sempre a principal (afinal, os livros são contados pelo ponto de vista dela), mas a gama de pessoas que esta garota conhece não é brincadeira. Por isso eu não estranho ao ver gente aparecendo dos lugares mais improváveis, muito pelo contrário, eu espero por isso.
A série, entretanto, tem seu próprio curso e embora eu reclame da mudança da personalidade dos personagens entre livro e série, eu cheguei a um estágio de conforto onde eu aceitei que a série tem seu próprio caminho e história e é neles que eu tenho que me focar.
Falando mais sobre esse quinto episódio especificamente, eu gostei demais de algumas coisas e de outras nem tanto. Entre as que eu não gostei, estão Jason, Crystal e a família do Sam. Eu entendo que há quem ame Jason e sua comicidade, mas ele é o típico personagem que eu desprezo e só serve para um humor tolo e desagradável. Não aguento esse cabeça-dura tentando forçar Andy a torná-lo um policial. Já não bastar fazerem de Andy o típico policial burro do interior, ainda tem que fazer de Jason um metido a espertalhão sem capacidade de conseguir coisa alguma sozinho? Desde o início da série eu não gostava dos dois, mas Andy deu uma melhorada, tornou-se mais consistente e aprazível em cena, Jason por outro lado, só está indo ladeira abaixo.
E sua obsessão com Crystal? Tudo bem que Jason é famoso por correr atrás de qualquer rabo-de-saia, mas sua atitude com a garota é estranha até para ele. E aquela ceninha melosa (e fantasiosa) a beira do lago foi a pá de cal que faltava para enterrar este personagem que só me faz sentir desgosto. Eu sei que a maioria dos fãs de True Blood adorou Jason nesse episódio, e sinceramente sinto muito, mas não consigo vê-lo com a simpatia que as pessoas o vêem.
Já com a família de Sam eu tenho sentimentos conflitantes. Sam é um dos meus personagens preferidos desde o início e continua firme e forte no seu posto, o que por si só já basta para me deixar feliz por vê-lo mais em cena. Mas essa família dele é chata demais e me entristece saber que ele foi atrás da verdade sobre si mesmo e acabou arrumando sarna para se coçar. Não tem sorte esse rapaz. Por outro lado, estou aprendendo a gostar de Tommy. Meu sonho é que os pais de Sam sumam do mapa e os dois irmãos possam criar vínculos de verdade.
E Tommy, por sua vez, parece interessado em Jessica, o que não é de se surpreender. Se tem uma personagem adorável em True Blood é Jessica. Uma pena que Hoyt tenha compreendido errado a cena que viu entre a garota e seu antigo colega no episódio passado. Eu queria muito que esses dois se acertassem. Alguém merece ser feliz nesta série!
Mas enquanto as coisas em Bon Temps estão relativamente calmas (embora a tempestade pareça próxima a explodir com todas as forças e eu sinto que as coisas não acabarão bem para eles), o mesmo não posso dizer para os vampiros e lobisomens. O inferno está solto no território de Russell.
Eu fico um pouco confusa com o interesse de Russell em Bill. Do que realmente ele estava atrás quando mandou Franklin investigar o vampiro? E onde mora a lealdade dos súditos da tresloucada Sophie-Anne? E por que Bill guardava um dossiê de Sookie? Qual o interesse real do vampiro na garçonete? Ele a ama ou está atrás da verdadeira natureza dela (sim, porque simples humana é óbvio que Sookie não é, visto a telepatia e a ridícula luz que solta nas horas de dificuldade)?
A pergunta é se Bill corre atrás de Sookie no final (numa jogada tão clara de Russell que dá vontade de bater em Bill por ser tão idiota) por gostar da garota ou porque a telepata é importante para algum outro propósito que ele tem.
O caso é que agora todo mundo vai acabar no mesmo balaio de gato. Provavelmente Sookie e Alcide serão levados, juntamente com Bill, para a mansão do Rei do Mississipi, onde já se encontram Lorena, Eric, Franklin e Tara. As coisas vão esquentar, com certeza.
Mas por ora duas coisas merecem destaque:
1) Eric flertando com Talbot e descobrindo que Russell é o objeto de sua vingança milenar (e que os lobos são mais tolos do que eu pensava, se tem se deixado usar há milênios). E aqui cabe dizer que não gostei do flashback do vampiro. Por algum motivo não me agrada a idéia de Eric ter sido um mulherengo inconseqüente;
2) Franklin. O vampiro é louco, total e completamente louco. Impagável o seu choro desesperado achando que Tara havia fugido dele e depois a alegria em mostrar como digitava rápido no celular. Pela primeira vez eu senti um certo respeito pela garota: sobrevivência acima de tudo. E ela conseguiu engambelá-lo com maestria, mas está numa sinuca agora. Quero só ver se Franklin de fato vai até o fim e a transforma em vampira.
Naomi comentou e eu não posso deixar de concordar: Bill e Franklin agem da mesma forma em relação aos objetos de suas afeições. A grande diferença é que Franklin é declaradamente insano e Tara percebe seu descontrole, enquanto Sookie se deixa enganar pela aparente cordialidade e cavalheirismo de Bill, quando na verdade ele é tão possessivo e controlador quanto o outro. Na minha opinião, nenhuma das duas relações é saudável.
Mas o que importa é que estou bem empolgada com esta temporada e cheia de curiosidades. Esta é uma vantagem da série ser tão diferente dos livros: eu nunca sei o que vai acontecer no minuto seguinte.

5 comentários:

Raquel de Meneses disse...

Você definitivamente me convenceu a ler os livros. Ótima resenha, Mica. Gosto muito do jeito que você escreve, uma delícia de ler.

naomi disse...

o negócio é cruzar os dedos e torcer pra essa temporada manter o nível, que tá de bom tamanho. lol! ah, e abstrair da bestalhona da sookie...

S! disse...

tbm odiei Maryann, so voltei a ver a serie por falta de opção msm, mas a serie se levantou e esta um nivel acima da 1° temporada, estou curtindo ela

mica, se vc nao viu, veja!!
sherlock holmes (serie)
achei muito bom o seriado pra um 1° episodio
e seria muito bom ler o que vc achou dela
;D

Mica disse...

Pois é, eu estou assistindo Sherlock. Eu ia fazer review, mas a correria da vida acabou me impedindo e quando eu vi já tinha lido um milhão de reviews e desanimei de escrever :-(

Unidade de Carbono no Palido ponto Azul disse...

Estou interessado em seu review sobre o seriado Sherlock, já que gostei do seu review sobre o filme do ano passado.

Postar um comentário